domingo, 4 de setembro de 2011

As vezes eu queria tanto....


As vezes eu queria tanto...
Queria tanto acreditar...
Acreditar no mundo..
Acreditar na vida...
Acreditar quem sabe até no tal Deus,
Ou Deuses, ou força, ou energia...
Tudo isso que um dia o homem inventou para sofrer menos...


Acreditanto quem sabe você estaria comigo?
Acreditando quem sabe eu te sentiria mais próxima?
Acreditando quem sabe eu teria a esperança de vê-la novamente?


Acreditando ou não,
O fato é que você não está aqui!
E parte de mim morre a cada segundo.


Não te ter mãe, é a adquirir a mais impensável dor!
O fundo mais vazio e oco que possa existir!
É sofrer muito além do que um dia eu sofri pelo mundo! 
Por cada choro de uma criança timorense,
Por cada momento de conflito pós-guerra,
Por cada necessidade moçambicana,
Por cada miséria no mundo!


Não te ter mãe, é um mundo acabado!
É não ter mais energias para lutar pelo mundo!
Que sentido tem lutar sem você?
Como lutar sem seu apoio?
Não te ter mãe, é a adquirir a mais impensável dor!
O fundo mais vazio e oco que possa existir!
É sofrer muito além do que um dia eu sofri pelo mundo! 








2 comentários: